OCLUSÃO DENTÁRIA NA REABILITAÇÃO ORAL

Quer ter sucesso no seu trabalho? Quer ter estabilidade a longo prazo sem dores de cabeça?

A oclusão dentária é a base, o segredo e o  pré-requisito de todas as especialidades!

Saiba interpretar e aplicá-la na prática do seu dia a dia!

Em apenas 2 módulos aprenda, domine e apaixone-se pela Oclusão! Inscrições Abertas!!!

PÚBLICO ALVO

Implantologistas, Ortodontistas, Reabilitadores Orais, Endodontistas, Periodontologistas, Generalistas e Técnicos de Prótese Dentária

DATA

Mod. 1 – 2 a 4 de Outubro
Mod. 2 –  9 a 11 de Dezembro

CARGA HORÁRIA

48 horas

LOCAL

Porto

Descrição

Quer seja Implantologista, Ortodontista, Prostodontista, Endodontista, Periodontista, dedicado à Alta Estética ou Generalista, a Oclusão faz parte das soluções do seu dia a dia!

Conheça o Professor Doutor Pedro Paulo Feltrin, um reabilitador oral de excelência! Conheça a filosofia simples e dinâmica que ele quer partilhar consigo  para o atendimento clínico do seu dia a dia. Tudo isto numa formação compacta, intensiva de 6 dias!

 “Saiba como iniciar e finalizar uma reabilitação oral” de maneira simples e protocolar.

CONTEÚDO PROGRÁMÁTICO

  • Como interpretar e aplicar a oclusão na prática clinica.
  • Estudo do Sistema Estomatognático. A mastigação tem importância sistêmica? Mastigação e Alzheimer.
  • Elementos funcionais: dentes – ossos – periodonto – ATM – músculos. Princípios de DAHL (O que significa e como é utilizado?).
  • Mecanismos de integração e harmonia entre os elementos funcionais. Oclusão e deglutição (Qual a relação funcional?).
  • ATM – anatomia, fisiologia e biomecânica da ATM.
  • Elementos anatômicos envolvidos na dinâmica mandibular – movimentos mandibulares e músculos agonistas (importância).
  • Biomecânica da oclusão dentária. Avaliação da mecânica aplicada em próteses parciais removíveis, fixas e dentes sobre implantes.
  • Estudo do sistema estomatognático e a importância da restauração/manutenção da harmonia entre os seus componentes funcionais (conceito de que a prótese dentária é a manutenção da reabilitação oral).
  • Reação do Sistema Estomatognático face a uma prematuridade.Aprenda a identificar uma interferência em Cêntrica, em lateralidade lado de trabalho, em balanceio e no movimento protrusivo.
  • Como avaliar a oclusão dentária: número de dentes; pontos de contato; interferências defletivas e contato prematuro; equilíbrio mandibular; posições de referência (RC X OC X DV).
  • Lesões não cariosas cervicais (LCNC): significado clínico e etiologia.
  • Relações maxilo-mandibulares, ântero posteriores horizontais, verticais e laterais.
  • Dinâmica mandibular e tópicos de importância clínica da anatomia e fisiologia da ATM.
  • Relação Cêntrica: definição atual, localização, registro, transferência e análise dos modelos. Localização e interpretação dos contatos oclusais com a mandíbula em RC. Saiba por que é imprescindível montar modelos de estudo no articulador em RC para elaboração do planeamento das reabilitações orais, principalmente as de alta complexidade.
  • Elementos referenciais na análise oclusal: eixo terminal de rotação – plano oclusal – PCR (posição de contactoretruído) deslize de RC para OC vertentes – retrusivas e protrusivas.
  • Nas próteses convencionais (sobre dentes ou sobre implantes) e nas cerâmicas minimamente invasivas qual o protocolo de finalização da oclusão dentária?

Conceito de adaptabilidade e oclusão dentária.

  • Importância no diagnostico e planeamento da reabilitação oral.
  • Importância da desoclusão em reabilitação oral.
    • Você está preparado para aplicar o conceito no sistema mastigador?

Oclusão ideal, conceito e aplicação do objetivo final em reabilitação oral.

  • Oclusão orgânica mutuamente protegida – conceito (estabilidade, axiliadade e não interferência).
  • Oclusão compartilhada – conceito.
  • Oclusão dinâmica individual – como agir clinicamente?
  • O que é estabilidade ortopédica? Importância na estabilidade mandibular.
  • Oclusão Fisiológica – conceito de má oclusão funcional.
  • Oclusão patológica -Como identificar a doença oclusal- conceito e aplicação clinica.

Importância da oclusão na reabilitação oral

  • Estabilidade mandibular – suporte posterior –  Como avaliar clinicamente?

Relação centrica {R.C.} – métodos  de como obte-la.

Técnicas: Anatômicas, ortopédicas e operacional. Qual utilizar?

  • RC – Vantagens, desvantagens e indicações.
  • MIH (máxima intercuspidação habitual) – Vantagens, desvantagens e indicações.
  • Componente anterior de força – CAF –  O que significa e qual sua relação com a oclusão dinâmica dentária.
  • Qual a importância clinica na identificação da interferência posterior e sua relação com a dispersão de dentes anteriores, superiores e inferiores.

Quando devemos obter relação centrica?

  • Contatos unilaterais.
  • Pacientes sintomáticos.
  • Alteração de dimensão vertical.
  • Alteração do guia anterior.
    • Técnica – JIG e LONG –o aluno fará em clinica todos os procedimentos para a correta montagem dos modelos de estudo em articulador​.

Guia anterior ou orientação excursiva

  • Conceito de proteção mútua.
  • Objetivos e importância da orientação excursiva no planeamento da reabilitação oral.
  • Saiba como aplicar as referencias oclusais tais como suporte posterior, relação centrica, dimensão vertical e guia anterior como parâmetro;  para compreensão do inicio, meio e fim de uma reabilitação oral.
  • Porque a desoclusão é mais importante que a oclusão?
  • Desoclusão em função e em parafunção.
  • Desoclusão em guia canina (proteção canina).
    • Altura funcional –side shift (deslocamento lateral imediato) diagnóstico e conseqüências.
  • Desoclusão em função de grupo.
    • Anterior e Posterior (total ou parcial).

Qual esquema adotar em próteses removíveis, fixas e dentes sobre implantes? Por quê? Variações clinicas.

Oclusão em implante – oclusão implanto suportada

  • Over denture sobre implante.
  • Avaliação do arco antagonista.
  • Como utilizar o shimstock.

Dimensão vertical – de repouso e  de oclusão

  • Quando de fato ocorre uma alteração da mesma? Como obte-la? Métodos simples para sua análise.
  • O que é extrusão compensatória?
  • Como, ou por onde devo iniciar minhas reabilitações orais?

Oclusão digital, a solução? Ela modifica os princípios fundamentais da oclusão mutuamente protegida?

  • Como aplicar os princípios fundamentais da oclusão mutuamente protegida na era DIGITAL? Quando os trabalhos protéticos são confeccionados pelo sistema CAD CAM há necessidade de ajuste da oclusão dentária em boca?
  • DSD (digital smile design)-uma ferramenta importante a ser utilizada em um planeamento de uma reabilitação oral – saiba como.

Montagem em articulador em análise da oclusão:

  • Estudo dos possíveis problemas oclusais.
  • Importância do enceramento de diagnóstico ou mockup  para um planeamento adequado dos diferentes procedimentos clínicos. Restabelecer a estabilidade oclusal com PREVISIBILIDADE.
  • Importância do articulador semi ajustável.
  • Há necessidade de aparelhos complexos para a análise oclusal?
  • Como o clínico deve realizar o procedimento no seu consultório.

Qual o protocolo de finalização das reabilitações protéticas?

  • Como fazer um JIG de LUCIA.
  • Qual o melhor método de obtenção da relação cêntrica:  Manual, Miotens, Dispositivo de Long, Jig ou Placa Miorelaxante; Limites e indicações corretas dos mesmos.
  • Registro da RC: Montagem de modelos de estudo em articulador.
  • Materiais para registro oclusal e correta posição do JIG.

MIOTENS (ELETRO ESTIMULAÇÃO CUTÂNEA) para obtenção da posição miocêntrica;

  • Instalação e ajuste do JIG para localizar a RC.

AJUSTE OCLUSAL

  • Desgaste seletivo e/ou por acréscimo.
  • Tipos de ajuste oclusal:
    • Desgaste seletivo;
    • Acréscimo (restaurações de cobertura oclusal).
    • Prótese de porcelana minimamente invasiva – fragmentos de porcelana, lentes de contato, facetas laminadas e TABLE TOPS.
  • Restauração do guia canino: metal, resina composta e/ou porcelana.
  • Aplicação dos conceitos gnatológicos para otimizar o trabalho de ajuste oclusal visando o equilíbrio mandibular.
  • Ajuste oclusal com auxílio de carbonos Bausch de espessuras 200 µm e 40 um e 12 µm.
  • Técnica de duas fases. Quais brocas utilizar para o desgaste?
  • Qual é a seqüência clínica de um ajuste oclusal por desgaste seletivo.
  • Trauma e oclusão (relacionamento com a periodontia).

AJUSTE EM:

  • Cêntrica – com e sem a utilização do JIG.
  • Lado de trabalho.
  • Lado de balanceio.
  • Protrusão.

PLACAS INTEROCLUSAIS

  • Tipos e indicações.
  • Porque estes aparelhos são chamados de dispositivos de estabilização ortopédicos funcionais?
  • Cognitivas e miorrelaxantes.
  • Desenho de placas: limite para conforto, propriocepção e vedamento labial.
  • Placa mandibular x placa maxilar: quando usar e qual a diferença?
  • Métodos de confecção de placa oclusal:
    • Base de acetato, silicone ou acrílico – qual a melhor?
    • Elementos oclusais e guias de desoclusão (efeitos no setor muscular e articular).
    • Como ajustar os contatos e que posição deve confeccionar a placa: RC ou M.I.H ?

Instalação e instruções de uso.

  • Como determinar a espessura da placa.
  • Interpretação clínica das alterações proprioceptivas promovidas por este dispositivo interoclusal.

Encerramento do curso

Entrega de certificados

Partilhe este Conteúdo com os amigos!
Share on Facebook

Facebook

Tweet about this on Twitter

Twitter

Share on LinkedIn

Linkedin

Email this to someone

email

Materiais

MATERIAL PARA MONTAGEM EM ARTICULADOR
Obrigatorio para participação:

  1. Articulador semi-ajustavel com arco facial (A7 Plus-Bio Art + arco facial Elite)
  2. Espátula Lecron
  3. Pincel para técnica Neelon
  4. Pinça de Miller
  5. Broca corte cruzado para resina acrílica
  6. Borracha de granulação grossa e fina para acabamento de resina acrílica

Fornecido pelo curso:

  • Carbono,
  • Shimistock
  • Espaçador de Long,
  • Jogo clínico
  • Jogo de moldeiras (peq. med. e grande)
  • Taça e espatula para gesso/alginato
  • Espatula para resina
  • Peça de mão baixa rotação {reta}
  • Tesoura
  • Pote de dappen x 2
  • X-ato (Estilete)
  • Faca para gesso
  • Material pesado silicone
  • Vaselina sólida
  • Resina Duraley vermelha ou similar (pó e liquido)
  • Cera 7
  • Cera Utillidade

Será solicitado material não listado acima caso seja necessário

Partilhe este Conteúdo com os amigos!
Share on Facebook

Facebook

Tweet about this on Twitter

Twitter

Share on LinkedIn

Linkedin

Email this to someone

email

EQUIPA FORMATIVA

Pedro Paulo Feltrin
Professor Doutor

QUERO SABER MAIS

PREENCHA O FORMULÁRIO e receba as informações deste curso como:
  Informações adicionais
  Ficha de Inscrição
  Materiais
  Valores


* Local de preferência para efectuar a formação: PortoLisboaPorto ou Lisboa

*Eu aceito receber informações e novidades de cursos do ICMDS

* campo obrigatório

GOSTOU? VEJA TAMBÉM

Partilhe este Conteúdo com os amigos!
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Posso ajudar?
Top
Text Widget
Aliquam erat volutpat. Class aptent taciti sociosqu ad litora torquent per conubia nostra, per inceptos himenaeos. Integer sit amet lacinia turpis. Nunc euismod lacus sit amet purus euismod placerat? Integer gravida imperdiet tincidunt. Vivamus convallis dolor ultricies tellus consequat, in tempor tortor facilisis! Etiam et enim magna.